Dor e revolta marcam sepultamento de guarda municipal em São Miguel dos Campos



GM foi morto durante um tiroteio ocorrido na noite desta terça-feira

A morte prematura do guarda municipal José Cláudio Donário, 35 anos, ocorrida na noite de ontem após um tiroteio no Bairro de Fátima, parte alta da cidade de São Miguel dos Campos não revoltou apenas a família da vítima, mas também amigos e companheiros de trabalho do GM miguelense.

Entre choro e declarações, familiares e amigos se despediram pela última vez do pai de família que deixa quatro filhos órfãos. A mãe e uma das filhas de Cláudio chegaram a desmaiar durante a saída do caixão e o momento do sepultamento.

Claudionario, como era chamado por seus companheiros de farda, foi alvejado com um disparo de arma de fogo abaixo do peito esquerdo e entrou em óbito ao dar entrada no serviço de emergência da Santa Casa de Misericórdia de São Miguel dos Campos.

O GM, que fazia parte da Guarda Municipal Miguelense desde sua fundação, esteve à frente do grupamento de trânsito como comandante e também assumiu o posto de comandante do GOE – Grupo de Operações Especiais, nos últimos dias Cláudio minha exercendo a função de patrulheiro do GOE.

“Era um excelente subordinado, nunca tive nenhum problema com o Claudionario, sempre atendia as ordens e cumpria fielmente com seu dever”, comentou o secretário de segurança de São Miguel dos Campos, Walmore Jatobá, durante o sepultamento do guarda.

Cláudio foi sepultado no final da tarde desta quarta-feira, 18, sob uma calorosa salva de palmas de seus companheiros, amigos e familiares.


Redação do saomiguelweb.com

Compartilhe
Notícias Anterior
Próxima Notícias